E agora o Facebook – adivinha? – quer literalmente ler os seus pensamentos

Era mesmo uma questão de tempo. E essa hora pode estar mais próxima do que você pensava. Em sua conferência anual de desenvolvedores, a F8, no dia 14 de maio, o Facebook revelou “aquela que pode ser sua proposta mais ambiciosa – e perturbadora” – uma interface que conecta o seu cérebro ao computador, permitindo que seus pensamentos sejam enviados diretamente para as máquinas. “Nossos cérebros produzem dados suficientes para transmitir 4 filmes HD por segundo. O problema é que a melhor forma que temos de trazer informação ao mundo – o discurso – só consegue transmitir a mesma quantidade de dados como um modem dos anos 1980”, disse Mark Zuckerberg em um post no Facebook. “Estamos trabalhando em um sistema que vai permitir que você digite diretamente do seu cérebro cerca de 5 vezes mais rápido do que você consegue digitar no seu celular hoje em dia. Eventualmente, queremos transformar essa tecnologia num wearable que possa ser produzido em grande escala. Mesmo um simples ‘clique no cérebro’ para sim ou não ajudaria a tornar coisas como a realidade aumentada em algo muito mais natural.” No fim das contas, o objetivo é criar um mundo online mais imersivo e real, para que você, é claro, passe ainda mais tempo no Facebook. É claro que isso já prevê o que vem a seguir – publicidade segmentada veiculada diretamente no nosso córtex visual.